• Tony Veríssimo

Eleições municipais. Em qual vereador votar?



O ano de 2016 é de eleição municipal, e juntamente com ela surge, mais uma vez, através do voto livre e democrático a responsabilidade em conceder os destinos do município aos representantes que concorrerão as vagas do Executivo e Legislativo. Hoje, falaremos da importância da escolha dos representantes do Poder Legislativo municipal: o vereador.

Verdadeiramente, a maioria dos candidatos ao cargo de vereador almejam não a representatividade dos anseios da sociedade, mas infelizmente, apenas um salário mensal (que será atualizado), até porquê atualmente raramente se têm sessões na Câmara Municipal. Sendo assim, muitos destes enxergam as eleições como uma oportunidade de ouro, pois para eles nada seria melhor que um salário agradável somado a regalias e pouco serviço.


Em tempo de eleição, não faltam promessas. As promessas são um dos mecanismos mais usados pelos candidatos. E nessa busca pelo voto, pelo apoio, os candidatos podem se perder em meio aos compromissos de ações impraticáveis, seja pela complexidade do assunto, seja pela própria limitação das atribuições legais daquele cargo almejado. No entanto, no afã pela vitória, não apenas se fala demais, mas se promete absurdos, como se vê nas eleições para vereador a cada quatro anos. Nesse sentido, conhecer as atribuições e verdadeiras funções do cargo legislativo municipal é fundamental não apenas aos que almejam ocupar tais cargos, mas principalmente para os eleitores, os quais munidos de algumas noções facilmente poderão identificar falácias, mentiras e uma sorte de discursos eleitoreiros absolutamente descolados da realidade.

O cidadão deve colocar em mente que o vereador é o seu representante na Câmara; ele deve lutar pelos direitos fundamentais da sociedade e não simplesmente chegar ao cargo eletivo para lutar por seus interesses pessoais, mudando de opinião conforme ‘a maré política’ do momento.


Os vereadores são agentes políticos. Dessa forma, são responsáveis pela elaboração, discussão e votação de leis para a municipalidade, propondo-se benfeitorias, obras e serviços para o bem-estar da vida da população em geral. Os vereadores, dentre outras funções, também são responsáveis pela fiscalização das ações tomadas pelo poder executivo, isto é, pelo prefeito, cabendo-lhes a responsabilidade de acompanhar a administração municipal, principalmente no tocante ao cumprimento da lei e da boa aplicação e gestão do erário, ou seja, do dinheiro público.


O grande “X da questão” é que muitos dos que se habilitam ao cargo de vereador, sequer tem uma base de estudo mínima, verdadeiros analfabetos políticos; não conhecem ou buscam conhecer as atribuições mínimas para o cargo que deseja ocupar, tais como: conhecimento sobre a Lei Orgânica Municipal; o Regimento Interno do Legislativo; a Lei de Diretrizes Orçamentárias; a Lei Orçamentária Anual; o Plano Plurianual; o Estatuto dos Servidores Municipais, entre diversas outras. Sendo assim, como um candidato a vereador com ausência de tais atributos mínimos poderia lhe representar?

Verdadeiros espetáculos dignos de picadeiro são conhecidos por todos. Um parlamento totalmente ineficaz que enche de vergonha qualquer cidadão com um mínimo de conhecimento legal. Quem não sentiria vergonha ao ser questionado por outros cidadãos, de outros municípios: - Está é a Câmara Municipal de tua cidade?


O destino do município, diga-se, mais uma vez, recai na responsabilidade de seus moradores, e estes escolherão aqueles que os representarão. Sabendo mesmo assim que uma má escolha terá uma duração de 04 anos. Assim, cada cidadão deve fazer um exame de consciência, analisar os candidatos que atualmente ocupam os cargos na Câmara Municipal e aqueles que pretendem substituir os que lá estão:

1) Qual o grau de instrução dos candidatos?

2) Quais as propostas lógicas de cada um?

3) O que cada um já fez ou não fez, e ainda, o que poderá fazer?

4) O que cada um desses entende das leis pelas quais serão responsáveis?

Essas são as indagações mínimas que cada eleitor deve refletir independente de qual partido cada candidato será lançado. Qual o modelo administrativo que a população verdadeiramente deseja para os próximos 04 anos?


Obviamente, as generalizações são sempre equivocadas e por isso é certo ponderar possa existir candidatos sérios e comprometidos. No entanto, a história da política brasileira e municipal confirmam a existência permanente de políticos de ocasião, oportunistas e de caráter duvidoso. Estes, na ânsia da realização de seu projeto pessoal de carreira política, acabam prometendo até mesmo fazer chover. Daí a necessidade do desenvolvimento de uma consciência política cada vez mais apurada e aguçada, pronta para descartar o voto nestes indivíduos e para confirmar o apoio aos que realmente desejam uma cidade melhor para todos. Por isso, vale refletir sobre a questão do voto consciente, pois:

“Toda Nação tem o governo que merece”. Joseph-Marie de Maistre

#2016 #Eleições #vereador

0 visualização

Siga o Eu Sou Azul

Tony Veríssimo

Post em destaque

© 2014-2020 EuSouAzul.com

Todos os direitos reservados