• Tony Veríssimo

IstoÉ descobre na prática: quanto mais se critica Bolsonaro, mais o povo o apoia!


Nesta última sexta-feira, 17, a Revista IstoÉ, publicou em sua rede social no Facebook, o link para a sua matéria denominada: Jair Bolsonaro: a ameaça totalitária, dos autores Octávio Costa e Tábata Viapiana.

A matéria que teve desde o início ao seu fim, o objetivo de macular a imagem do deputado federal, que visa concorrer no próximo ao cargo de Presidente, teve um efeito inverso, o famoso: foi fazer um giro, mas fez um jirau.


Foto: Antônio Cícero/Phopress/Estadão

A Revista IstoÉ partiu para o que se demostra como um desespero midiático, nem páginas de esquerda, tomaram em um único dia, condutas tão radicais e extremistas. A página no Facebook da Revista IstoÉ mudou a capa, publicou matéria, publicou charge e publicou a capa da revista impressa semanal – essa última até fixada no topo – com críticas dignas de paixão militante anti-Bolsonaro. Algo compreensível para veículos político-partidários contrários ao deputado federal, mas não para um veículo de comunicação que visa transmitir imparcialidade.

Não levou tempo para que a página da Revista IstoÉ recebesse uma enxurrada de críticas negativas. Milhares de textos hostilizando as publicações cobriram a página, e para cada crítica feita a revista, dezenas de milhares de manifestações de apoio a estas se tornaram notórias, seja por meio de comentários seguintes, curtidas, risadas ou corações.

Veja os comentários dos internautas:


Alguns poderiam dizer que essa ação da Revista IstoÉ é mais uma maneira de adquirir audiência através de suas matérias. Mas qual o veículo de comunicação sério quer ser ridicularizado em público pelo trabalho que realiza?

Uma coisa é desejar que um cidadão não venha ocupar um cargo político como o de Presidente da República, outra coisa é cegar para a realidade, seja esse político de esquerda, de direita, de centro e daí por diante. Negar o crescimento popular de Jair Bolsonaro é no mínimo ignorância. Na verdade, ele e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, são hoje, os únicos nomes que notoriamente tem peso e votos para se almejar um cargo tão importante, ambos são favoritos independente dos partidos que venham a ocupar, quaisquer outros candidatos são meros cumpridores de tabela, gostando disso ou não, mas esta é a realidade do Brasil atual.


Foto: vindodospampas.blogspot.com.br

Nos tempos atuais a impressa nacional e até mesmo internacional tem abandonado, cada vez mais, a conduta de transmitir ao telespectador e/ou leitor a informação como elas são, muitas vezes manipulando informações e se tornando veículos meramente de formação de opiniões. Essa ação provocou na população uma verdadeira falta de credibilidade em tais veículos tradicionais, sendo taxados esses últimos de yellow journalism (imprensa marrom) ou o mais popular, desde a campanha presidencial norte-americana: Fake News.

Isso prova porque tantos jornais e revistas estão vendendo cada vez menos, outros simplesmente fechando as portas.

Muitas vezes o que a maioria da população percebe, é que muitos veículos de comunicação ignoram os asseios do povo para impor a visão de mundo desejada por alguns autores e editores da imprensa. Estes últimos buscam por trás de suas mesas de escritórios e salas climatizadas, dizer como a população deve pensar e viver, enquanto os primeiros recebem todos os créditos como mentes brilhantes, dignas de altos salários e desfrutadores de um um belo café enquanto colocam os pés sobre a mesa, a população nacional tem que lhe dar com um mundo sujo, corrupto, violento e bem real.

O erro da impressa americana foi tentar de todas as maneiras possíveis destruir a imagens de Donald Trump, para que esse não chegasse à Casa Branca. Em vão.

O problema é que: quanto mais se bate, mas a população desconfia; quanto mais a população desconfia, mas tende a abraçar aquele que estar sendo criticado, principalmente quando este último defende na prática os ideais do ouvinte e não simplesmente o diz de maneira politicamente correta quando as eleições se aproximam. Ocorreu com Trump nos EUA e está ocorrendo com Bolsonaro no Brasil, só não ver quem não quer.


Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS

Se Bolsonaro vai vencer as eleições ou se ele se tornará um bom presidente só o tempo dirá, mas uma coisa é certa: Quanto mais se bate nele, mas o povo o apoia; mas ele cresce. Se a imprensa nacional não quer que Jair Messias Bolsonaro chegue ao Planalto, ela deve buscar outra arma – a qual desconhecemos -, caso contrário, estará cometendo o mesmo erro da imprensa americana: Fortalecer junto a população aquele que ela tanto odeia.

#IstoÉ #Bolsonaro #Presidente #Lula #Facebook #2017 #FakeNews

9 visualizações

Siga o Eu Sou Azul

Tony Veríssimo

Post em destaque

© 2014-2020 EuSouAzul.com

Todos os direitos reservados