• Tony Veríssimo

Jornalista americano do Washington Times denunciou a jornalista Constança Rezende do Estadão



Na última sexta-feira, 8, o renomado jornalista norte-americano L. Todd Wood, do site The Washington Times, publicou uma matéria denunciando áudios da repórter Constança Rezende do jornal O Estado de São Paulo (Estadão) sobre o caso envolvendo o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e seu assessor Fabrício Queiroz.


No Brasil, a divulgação dos áudios foi feita no domingo, 10, pelo site Terça Livre, que tem como lema denunciar “as mentiras da mídia”.


Na entrevista em inglês da jornalista do Estadão para o jornalista e cineasta marroquino Jawad Rhalib, Constança diz que a sua denúncia sobre Flávio poderia “arruinar Bolsonaro” e que se sentiria frustrada se nada acontecesse após a investigação, pois, para ela, as denúncias envolvendo o filho de Jair Bolsonaro deveriam causar o impeachment do presidente.

Em uma de suas falas, a repórter do Estadão e filha de Chico Otávio do O GLOBO, afirma: “I only do that, I think i’am on thirty days doing only this case, because it can compromise… can ruin Bolsonaro”. Que traduzido quer dizer:


Eu só faço isso. Eu acho estou há 30 dias fazendo somente esse caso, porque isso pode comprometer, pode arruinar Bolsonaro”. Constança Rezende

Constança ainda diz que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) entregou documentos sigilosos para alguns jornalistas.


Nesta segunda-feira (11), o próprio presidente Jair Bolsonaro divulgou o áudio da entrevista de Constança com o seguinte comentário: “Constança Rezende, do “O Estado de SP” diz querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o Impeachment do Presidente Jair Bolsonaro. Ela é filha de Chico Otavio, profissional do “O Globo”.



Os áudios são prova material incontestáveis. Não importa o quando a mídia brasileira tente encobrir o caso para proteger o esquema midiático existente no país contra o presidente, pois as cartas estão expostas.

441 visualizações0 comentário