• Tony Veríssimo

Procurador dos EUA inocenta Trump da acusação de conluio com a Rússia

Atualizado: 25 de Mar de 2019

O relatório do procurador especial Robert Mueller sobre a possível interferência russa nas eleições dos EUA de 2016 concluiu que o presidente Donald Trump não cometeu o crime de conspiração (ou conluio). O procurador-geral, Robert Barr, recebeu o relatório na sexta-feira (22), e enviou um resumo ao Congresso neste domingo, 24 de março.


Principal conclusão da investigação: A Rússia interferiu nas eleições presidenciais de 2016 nos EUA, hackeando computadores de democratas e através do uso de mídias sociais, mas Donald Trump e seus associados não participaram dos esforços russos e são inocentes.


O Conselho Especial [criado para investigar o presidente] não descobriu que a campanha Trump, ou qualquer pessoa associada a ela, conspirou ou coordenou com o governo russo nesses esforços, apesar das múltiplas ofertas de indivíduos afiliados russos para ajudar na campanha Trump”, segundo Barr, que resumiu o relatório em uma carta enviada pelo Departamento de Justiça dos EUA ao Comitê Judiciário do Congresso.

Após a divulgação do resumo, Trump comemorou o resultado das investigações que duraram 675 dias; quase dois anos.




O escândalo da CNN


A rede de televisão americana, CNN, cobriu o caso de Donald Trump e a suposta aliança com os russos de maneira feroz, colocando sempre o Presidente no banco dos réus, até o dia que um funcionário da própria CNN teria admitido que a rede de televisão vinha mentindo apenas para prejudicar Trump.




Neste pequeno trecho do documentário, selecionado pelos Tradutores de Direita, o Project Veritas expõe as verdadeiras motivações por trás das notícias publicadas pela grande mídia. John Bonifield, jornalista e produtor da CNN com 15 anos de casa, admite que toda a narrativa russa é Fake News e, indiretamente, dá um recado aos jornalistas recém-formados: esqueça todo aquele papinho de “ética jornalística” que você aprendeu na universidade. No mundo real, as coisas funcionam um pouquinho diferente.


Mais uma vez, Olavo tem Razão


Mais do que nunca, o conselho do filósofo Olavo de Carvalho ganha destaque:


"nunca, em hipótese nenhuma, procure se informar pela grande mídia. Ela só serve para amostrar as narrativas que aqueles que financiam estes órgãos de mídia querem enfiar na sua cabeça".


47 visualizações

Siga o Eu Sou Azul

Tony Veríssimo

Post em destaque

© 2014-2020 EuSouAzul.com

Todos os direitos reservados